Aluno do MPET apresenta dois trabalhos no II Congresso de Ciência, Educação e Pesquisa Tecnológica (II CONCEPT)

Os trabalhos intitulados “Estudo dos tecidos vegetais utilizando folhas de theobroma grandiflorum (cupuaçu)” e “Uma proposta didática para o ensino de Anatomia e Fisiologia Vegetal”  apresentados no II CONCEPT, foram gerados a partir da disciplina “Uso de Recursos Naturais Amazônicos no Ensino, pertencente ao Mestrado em Ensino Tecnológico do IFAM, ministrada pelos professores Jean Dalmo, Lucilene Paes e Edson Chaves. Os trabalhos surgiram dos esforços de alunos participantes e das orientações da docente. Professora Lucilene relata que a ideia dos trabalhos surgiu como proposta para diminuir o problema que há muito tempo vem afetando o ensino de Botânica.  Ela descreve que o ensino desta ciência é muitas vezes decorativo e descontextualizado com a realidade do aluno, o que traz uma desmotivação e um descaso imenso com esses organismos. O aluno Henrique Lima, mestrando do MPET e um dos autores, explicita que diversos trabalhos mostram que esses problemas ocorrem também nas escolas do Amazonas, o que segundo ele, não deveria ocorrer, pois estamos inseridos dentro da maior floresta com biodiversidade florística do mundo, e a percepção da importância das plantas já deveria ser algo natural por parte de toda a Sociedade Amazonense. Ambos os trabalhos foram elaborados como uma proposta dinâmica e motivadoras para ensino de botânica. No primeiro trabalho utilizou-se as folhas do Cupuaçu e o segundo, as do Cacau, ambas são plantas bem conhecidas pela população. Posteriormente, foram feitos corte anatômicos nas folhas para mostrar os elementos que ali se encontram, desta forma os alunos podem relacionar a teoria utilizando exemplos regionais. Com esses trabalhos, podemos finalizar que para ter um ensino botânico compreensível e acessível ao discente, faz necessário criar e desenvolver práticas educacionais que façam uma associação entre aquilo que é ministrado por meio de teoria, e o conhecimento contextualizado (prática). A utilização de plantas conhecidas e a confecção de laminas foliares contribui com a diminuição dessa lacuna entre o conhecimento botânico e o aluno, pois com essa proposta didática há contextualização do conhecimento apresentando e o aluno consegue inserir-se nesta realidade.